quarta-feira, 13 de abril de 2011

Tri Perdidas: Logo escolhido!

E o escolhido foi:

Agradecemos a participação de todos!
Valeu, amigos do Tri Perdidas!

XD

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Tri Perdidas: Video de Howth!

Pessoal, esse é o vídeo que fizemos em Howth! Curtam um pouco da paisagem e do nosso passeio!
Ficamos muito surpresas ao encontrarmos as foquinhas, em Howth. Pena que tinha muito lixo, garrafas e copos plásticos, na beira do porto, mas, pelo menos, apenas onde elas estavam. Não vimos lixo em mais nenhum lugar.

XD

Aguardem o próximo vídeo: Bray!

domingo, 10 de abril de 2011

Triperdidas: em Bray

Fim de semana, vamos para a praia! É isso ae, depois de nos maravilhar na praia de Howth resolvemos conhecer mais o litoral de County Dublin. Decidimos ir para Bray, no sul, pois várias pessoas falaram super bem de lá. Bray fica a uns 40 minutos de Dublin (centro) de dart. Resolvemos que dessa vez iríamos levar almoço e lanche para não gastar lá, então fiz um sanduíche de queijo com tomate e levei uma maça, que não comi. Claro que acabamos tomando um sorvetinho por lá, afinal, estávamos na praia! 
A ideia é aproveitar que podemos conhecer vários lugares pagando menos de cinco euros ida e volta de dart. Convidamos a Letícia, que acabou de chegar do RS, pra ir com a gente. Nos encontramos no Liffey, metade do caminho para todas nós, e fomos felizes pegar o dart. No caminho, vimos vários campos de golf, que parece ser um esporte forte por aqui, além de rugby. Porém, ficamos interessadas mesmo nas paisagens com morros e praias de águas verdes que foram surgindo por entre os muros de pedra. Tão rápido que nem deu pra tirar foto.

Chegando lá fomos direto pra praia, o que não foi difícil, pois o dart fica a uma quadra da orla. Bray é uma cidade que se desenvolveu na ocasião da segunda guerra mundial, pois abrigou várias pessoas abastadas que fugiam das zonas de conflito. O que não significa muita coisa por aqui, afinal de contas, Bray funcionava como um resort, ou seja, a região era usada como um lugar recluso, de paz no meio da natureza. O maior desenvolvimento que teve foi ter casas grandes e jardins bem cuidados. Hoje em dia, as casas são antigas, principalmente as da orla. Ao invés de areia, a praia tem pedras, de várias cores, tamanhos e estampas! Ficamos encantadas com a variedade, é realmente muito diferente e bonito. As pedras foram colocadas lá há uns 200 anos para evitar que a água dominasse a praia e invadisse a cidade. Boa ideia!




Mas Bray não é só praia e pedra, também tem vários morros lindos com trilhas de tirar o fôlego ; ) minha colega de trabalho falou que a caminhada até a cruz no alto  do morro era legal e resolvemos tentar essa trilha. O topo do morro parecia ser maior que os de Howth, mas chegamos lá em cima super rápido. A trilha foi mais no meio das árvores e das pedras do que em Howth, onde seguimos pela beirada do morro, com vista para o mar. Dessa vez seguimos pelo meio, mais verticalmente. Uma tiazinha com uns cachorros animados que nos assustaram no pé do morro nos deu algumas dicas sobre as trilhas, perguntou o que queríamos ver e nos indicou a trilha mais adequada. Simpaticíssima como todo Irish!






A trilha foi linda! E a vista do topo sem comentários! Bem mais legal do que a vista do topo (summit) de Howth. A cruz eu achei sem graça : P Na descida resolvemos passar por umas ruínas que vimos ao pé do morro. Fomos lá, tiramos umas fotos e a Ana viu um casal transando na grama do lado do monumento!!! Plum, plum, plum! Me caíram os butiá do bolso! Como assim!?! Nem chegamos na Holanda ainda e já ta essa putaria!?! A luz do dia! Demos risada, viramos as costas e seguimos nosso caminho, com mais essa história pra passar adiante.


Além do pessoalzinho no mato, várias pessoas fazendo trilhas, famílias, casais, idosos, todo mundo equipado pra caminhada, com seus cachorros adestrados e serelepes. Hoje tinha até um vovô com um bando de netinhas pululantes – eram umas três ou quatro. Fiquei com pena do velhinho só de olhar, que pique pra agüentar aquelas meninas! Também nunca vi tanta criança com menos de cinco anos no mesmo lugar! Era um “óó´”, “que amor”, a cada dois minutos! Como dizem os paulistas por aqui, “você desacredita”!

Só fiquei um pouco frustrada pois não consegui achar um serviço de atendimento ao turista para nos dar mais informações sobre o que fazer por lá, ou pelo menos um mapa. Tentei perguntar para os locais sobre os lugares que vi na internet, mas eles são uns tapados mesmo, não conhecem as próprias atrações! Pergunta sobre um pub do outro lado da cidade pra ti ver como eles vão saber!
Entre outras coisas eu queria muito ver as árvores fossilizadas que, de acordo com o Google, ficam na beira da praia. Perguntei e o carinha do quiosque nem sabia do que eu tava falando. Saco! E nem mapa eu tinha na mão! Tive que deixar para a próxima, pois as meninas já estavam super cansadas também. Pelo menos é um passeio barato, que posso fazer outra vez.

Mesmo assim, esse foi mais um findi de sol e calor na praia : ) mais uma trilha linda e paisagens inesquecíveis!
Em breve vídeos ; )

Falou triperdidas!

Mel.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Tri Perdidas: Escolha do Logo

1-
2-
3-

Votem na enquete ao lado, os links para os logos estão na mesma ordem que neste post. ------->

Valeu Tri Perdidas!!!!


segunda-feira, 4 de abril de 2011

triperdidas: Phoenix Park

É fácil se perder no Phoenix Park, pois ele é o maior parque urbano da Europa. Mesmo assim não nos perdemos muito por lá, tínhamos uma mapinha e estávamos curtindo uma friaca com solzinho! A segunda vez que fomos lá foi com os mineiros, e eles fizeram um vídeo na ocasião. Ficou tão legal que achei interessante passar adiante. Divirtam-se e prestem atenção nas triperdidas no fundo ; )
Bjs!



Falou triperdidas!
Melina.

domingo, 3 de abril de 2011

Tri Perdidas: Howth is magic!

Final de semana Mara!
A Mel e eu fomos para Howth, no sábado. De 1 à 3 de abril tem o Festival do Camarão, então aproveitamos para ir até lá conferir, o festival e a cidade!
Aí acima vocês podem ver um mapa da região. Bom, o dia estava simplesmente perfeito, não estava muito frio, o dia ensolarado, céu azul, incrível.
Ao chegarmos lá, procuramos alguma informação sobre o Festival, pois quando perguntei ao motorista, ele disse não ter a mínima ideia de que havia um festival acontecendo. Achamos isso muito bizarro, pois o Festival consta no meu guia, como o motorista do onibus para Howth não tinha nenhuma noção do que estava acontecendo. Bem, pedimos para descer no centro de Howth.
Passamos por alguns cartazes do Festival, mas o tio do bus não deve prestar muita atenção na paisagem. :-P
Caminhamos pelo porto, seguimos na mesma direção de algumas famílias, alguns turistas italianos.
O lugar é cheio de pequenos e grandes restaurantes, com a especialidade, peixe. Notamos algumas pessoas sentadas à beira da água olhando para baixo. Bela surpresa, foquinhas dando as boas vindas aos turistas.
 Ficamos chateadas de ver a sujeira na beira, garrafas e copos de plástico, e elas ali com suas carinhas tristes.
Muito lindas e exibidas, estavam gostando de se mostrar para os turistas, fazendo charme.
Foi muito legal sentar a beira mar, sentir o cheirinho e o barulho da água, vale muito a pena visitar Howth, a paisagem é de tirar o fôlego.
Achamos algumas pessoas dando informações sobre o festival, pegamos um mapa da cidade e um guia de programação. A senhora que nos deu as informação nos recomendou um restaurante para almoçar (carissimo), e sugeriu que fizéssemos uma caminhada pela costa, de duas horas de duração.
Almoçamos em um Pub muito bonitinho, a comida estava ótima.
A Mel comeu um Sea Food Platter:
Chowder: uma sopa de vegetais com frutos do mar. Salmão defumado e um assado. Salada verde e salada de repolho com maionese, que chamam de coleslaw.
Eu, comi Baked Potato com cheese, vegetariana neh :-D:
Veio acompanhada de salada e coleslaw, uma delícia.
A Mel ficou bem feliz de pedir uma coca com limão e gelo, porque normalmente eles trazem coca em temperatura ambiente e nunca tem gelo, as geladeiras não ficam ligadas - deixam as latinhas em um armário.
Saindo do Pub fomos fazer a caminhada, e se a paisagem já era linda, foi aí que ficou de tirar o fôlego.
Começando a subida passamos por um cantinho da praia que fica separado, o lugar me lembrou Floripa, várias vezes. Adoro! :-P
Ah, exceto porque não tem areia na praia, são pedras e pedrinhas. Adorei o som das ondas nas pedras.
Este é o pedaço de praia separado. Tinha alguma atividade para as crianças, crafts ou games, não sei bem, não descemos até a praia para conferir. Quando chegamos na frente do portão de entrada, alguns meninos irlandeses, carregando várias cevas entraram na praia, desceram as escadas fazendo bagunça, nada convidativo. Continuamos a subida para trilha.


 A subida foi ótimas, pois ficamos encantadas com as belezas naturais e com as casas à beira mar/ penhasco.
 Olhem essa, a casa é enorme e a vista, sem comentários. Na beira um muro de pedras, construído com um cuidado e uma beleza que deu uma moldura a paisagem.
 Subindo os morros, as vezes tinha umas escadinhas de pedra, mas novamente, a beleza e a energia do lugar faziam a caminhada valer muito a pena.

 Uma paradinha para descansar e curtir aquele ventinho do mar, o calor do sol. Aproveitei para ligar pra mamãe e dividir a emoção.
 Prontas para continuar...
 Essas flores estavam por toda a borda da montanha, o aroma era delicioso. Se não era um tipo de baunilha, deve ser uma prima próxima.

 Perdemos a programação do Festival, pois fizemos a caminhada de 2 horas em cinco, com paradas para descansar/curtir a paisagem, nos perdermos, perdermos a paciência. :P
Há muitas coisas que não tivemos tempo de ver, ou vimos muito rápido. Ao chegar no final da caminhada, que a guia sugeriu, tinha um Pub, que ela falou que era muito legal para tomarmos uma Pint. Estavamos cansadas  da caminhada e querendo repor água. Não achamos nada de mais no Pub, bem comum, uma mesa de sinuca. A Mel tomou um chá e descemos.
Fomos conhecer o castelo que tem na região. Ele é de propriedade privada, então só é possível olhar de fora. É um castelo pequeno, num lugar muito bonito - normal neh-.

 Próxima foto:  The Vintage Radio Museum. Fomos até a entrada, mas estava fechado. A fachada é bem feia, velha, parece um lugar abandonado. Não sabemos se está funcionando, pois era quase cinco horas da tarde, tinha dois guardas conversando no pátio, e eles disseram não saber do horário de funcionamento. Tinha uma placa na entrada, sem muitas informações.

Em um Pub, aguardamos o encerramento do dia, um show de fogos.



O show de fogos foi modesto, mas bonito, encerrando o dia cheio das maravilhas de Howth. O passeio valeu muito pelo lugar, que é lindo, mas o festival mostrou, mais uma vez, que os Irlandeses não são muito descolados para festividades, Poderia ter sido melhor organizado, ter tido mais propaganda, mas talvez nós é que não estamos acostumadas com o ritmo deles. É que não parecia que estava acontecendo um Festival. Pela manhã tinha algumas pessoas circulando, como um dia comum de turismo. A tarde teve uma feirinha de comida, com receitas de camarão, mas nós duas fomos caminhar. E... estava ótimo.


É isso aí. Howth IS Magic, indeed! É mesmo, mesmo mágico, para quem gosta de apreciar lindas paisagens.
Continuamos tentando entender os Irlandeses!


Falou TRI Perdidas! - se perderam bem dessa vez - :-P

triperdidas: aniversário (29 de março)


Oi! Resolvi colocar um post sobre o meu aniversário, pois ele foi muito especial! Eu queria ir num pub diferente – pois tem tantos aqui que eu não queria repetir. Pesquisei um que tivesse música ao vivo e poucos turistas,  ou seja, nada de Temple Bar. O meu guia sugeriu o O’Donoghue’s, perto do Merrion Square. 

Trabalhei nesse dia até às 15h e tínhamos combinado às 19h. Cheguei em casa, tomei um banho de banheira ; ) e me arrumei pra sair. Quando saí do quarto tinha um bolinho com velas e um chapéu de aniversariante!!! 
Adorei!!! O pessoal cantou parabéns e até me deram presentes! Adoro surpresas! E esse é o tipo de coisa que ninguém diz, tipo, "amigos, façam uma festa surpresa pra mim!" Hehehe, pensei que ia chegar nos trinta sem isso ter acontecido comigo :) Inesquecível! Amei, pessoal!!! Pensei que ficaria um pouco melancólica por estar longe de casa, cada vez mais próxima dos trinta... mas no fim, a surpresa, os amigos queridos e uma pint num pub na Irlanda não deixaram isso acontecer!!! Yey!





Acabamos saindo mais tarde do que o planejado, afinal de contas, quatro minas se arrumando... enfim, nos becamos e fomos a pé, claro! Chegando lá, o pub fedia, só tinha uns tiozinhos de cabelo branco e nada de música. Foi uma pena, tava  com muitas expectativas sobre o O'Donoghue's. Resolvemos ir pra outro pub. Encontramos o Rafa no caminho e tomamos umas pints num pub próximo, onde estava passando o jogo da Irlanda contra o Uruguai. 


Amei muito tudo isso!!!

Falou triperdidas!
Melina.